Conforme a enfermeira da Vigilância Epidemiológica, Ivanete Rauber Althaus, a diarreia, não é uma doença, mas sim uma manifestação clínica comum de várias doenças diferentes que afetam o trato gastrointestinal.
 
Na última semana a Secretaria de Saúde teve um aumento de 100% no número de casos de diarreia nas Unidades Básicas de Saúde, com total de 39 atendimentos, não incluindo as ocorrências atendidas no hospital e clínicas particulares.
 
PRINCIPAIS CAUSAS: 
Germes, entre vírus, bactérias e parasitas podem causar quadros de diarreia por intoxicação alimentar. A diarreia pode ser causada pelo próprio germe ou por toxinas produzidas pelo mesmo. Quanto maior a concentração de toxinas ou micróbios, maior é a chance destes, vencerem a acidez do estômago e alcançarem os intestinos. Algumas toxinas após sua produção não são destruídas no cozimento, por isso, o armazenamento de alimentos deve ser feito de modo correto antes e depois da preparação.
Diante disso, precisamos aumentar os cuidados para evitar o contágio.
 
CUIDADOS BÁSICOS:
• Lave as mãos com frequência, principalmente após ir ao banheiro e antes de comer ou preparar refeições,
• Lave bem os alimentos como frutas e verduras antes de consumir,
• Tome agua filtrada ou fervida,
• Use álcool em gel para desinfetar as mãos com frequência
• Ensine as crianças a não levar objetos à boca.
• Ao viajar beba somente água mineral e não use gelo,
• Evite frutos do mar crus
• Não consuma carne mal passada.