A Secretaria Municipal de Saúde de Pinhalzinho, por meio do Serviço de Saúde Mental, lançou na sexta-feira (16), a programação das ações da Campanha Setembro Amarelo - Valorizando a Vida, com o lema ‘Todos pela vida, você não está sozinho’.  O Setembro Amarelo é conhecido como o mês de prevenção ao suicídio.


O objetivo do lançamento da campanha é mobilizar todo o município, entre escolas, clubes de serviço, empresas e entidades sociais. Conforme a enfermeira e coordenadora do Serviço de Saúde Mental do município, Selis Mara Vicenzi Mantelli, todos acabam tento um envolvimento direto ou indireto com alguém que precisa estar valorizando a sua vida. “Convidamos todos a se juntarem a nossa equipe e juntos vamos fazer com que o município realmente se mobilize pela vida”, aponta.


O evento de abertura do Setembro Amarelo será dia 02 de setembro, às 19h, no CTG Porteira do Pinhal, com a palestra ‘Suicídio: Falando Abertamente’, ministrada por Abel Petter. No dia 15 de setembro, será o dia para valorizar a vida, com uma programação especial, com início às 13h30, que contempla uma caminhada saindo da Praça Central até a Praça do Lago, após abertura do evento e na sequência a corrida pela vida também envolvendo as crianças, bem como passeio ciclistico. No mesmo momento terá uma mateada e a várias atividades como oficina de yoga, atividades físicas, danças, pintura facial, pa-kua, contação de histórias, brinquedos, exposição de carros antigos, musica e muito mais.

Saúde Mental 


De acordo com Selis Mara, a Rede de Saúde Mental iniciou um levantamento e durante os primeiros seis meses do ano, na Rede de Saúde Mental que compreende a Rede Especializada que é a parte ambulatorial de Saúde Mental que acontece por meio de consultas com a médica psiquiatra e os atendimentos que acontecem no Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) por equipe multiprofissional, 526 pacientes foram atendidos. 


Atualmente a Rede conta com 376 pacientes ativamente e com cuidados continuados especificamente em Saúde Mental. Na Rede do CAPS, serviço de alta complexidade, 177 pacientes estão em atendimento continuo.


“No período de cinco meses, o CAPS atendeu 21 pessoas que tiveram tentativas de suicídio e algumas dessas pessoas com múltiplas tentativas. Não podemos ficar fingindo que isso não está acontecendo em nosso município, mas precisamos valorizar a nossa vida e evitar que situações corriqueiras do nosso dia nos leve a situações extremas como as tentativas de suicídio”, destaca Selis Mara.