Na sexta-feira, 1º de dezembro é o Dia Mundial de Luta contra a AIDS. A data serve para fazermos uma reflexão sobre o nosso comportamento: primeiro no que se refere ao preconceito, em relação às pessoas que convivem com a doença; segundo para falar sobre o assunto pensando em despertar para a consciência quanto ao uso do preservativo. 


Conforme a coordenadora da Vigilância Epidemiológica, Ivanete Althaus, atualmente 31 pacientes com HIV estão sendo acompanhados/tratados no município, incluindo mulheres, homens, jovens, adolescentes e idosos. “O tratamento é bem eficaz, a pessoa pode ter uma vida normal, mas para isso, precisa ter o diagnóstico da doença”, diz, acrescentando que além do HIV, 19 casos de Sífilis foram registrados neste ano, sendo quatro em gestantes.


A coordenadora da Vigilância Epidemiológica salienta a importância do planejamento familiar, de fazer os exames antes da gravidez. “Mas se a mulher engravidou, ela deve procurar a unidade de saúde para iniciar o Pré-Naltal, fazer os exames, tratando o quanto antes, doenças que podem ser diagnosticadas, como a Sífilis e a toxoplasmose, fazendo todo o acompanhamento necessário, para que a criança não venha sofrer sequelas de uma doença que pode ser tratada”, menciona.


Pensando na prevenção, no acompanhamento de pacientes com HIV, uma das propostas do Ministério da Saúde, além do uso da camisinha nas relações sexuais é a importância de fazer o diagnóstico precoce. Neste sentido, Pinhalzinho está propondo para o mês de dezembro, intensificar a realização de testes rápidos nas Unidades de Saúde.  “Esta é a proposta para o ‘Dezembro Vermelho’, falar sim da prevenção, mas buscar o diagnóstico precoce visando o tratamento e a melhoria da qualidade de vida de quem possa estar com o vírus, transmitindo para outras pessoas e muitas vezes não sabe”, finaliza a coordenadora da Vigilância Epidemiológica, Ivanete Althaus. O exame é gratuito e pode ser agendado na Unidade de Saúde de referência.