Na sexta-feira dia 21 de dezembro foi realizada a ultima Assembleia Geral Ordinária de 2018 da Associação dos Municípios do Oeste de Santa Catarina (Amosc) com a eleição da Diretoria Executiva e do Conselho Fiscal 2019, lançamento do Folder Institucional e da Revista dos 50 Anos da entidade, indicação de prefeitos para as eleições da Fecam, Aris, Egem, Ciga e Saga, e o encontro das primeiras-damas. O evento aconteceu no Pratas Thermas Hotel, Balneário de Pratas, em São Carlos. A assembleia encerrou as atividades da associação em 2018, e fechou com chave de ouro a programação voltada à comemoração do cinquentenário da Amosc e a despedida da Diretoria Executiva 2018.

Na oportunidade foi aprovado um manifesto de apoio aos produtores de leite a ser encaminhada as autoridades constituídas e a sociedade catarinense sobre as dificuldades que a cadeia produtiva do leite está passando (anexo).

O atual presidente da Amosc, Rudi Miguel Sander, fez um agradecimento especial aos 21 colegas prefeitos que estiveram juntos no exercício em 2018. “Muito nos honra estar presidente enquanto comemoramos o cinquentenário, a missão é grande, os desafios são enormes, nós temos a consciência de que demos o melhor de nós para fazermos os nossos municípios serem mais fortes. Um grande abraço a todos! Desejo ao prefeito de Pinhalzinho, que será o nosso próximo presidente, muito sucesso, quero dizer que conte conosco, estamos juntos pelo engrandecimento de nossas cidades”, afirmou.

Já o prefeito de Pinhalzinho, Mário Afonso Woitexem, eleito presidente da Amosc para a gestão de 2019 falou sobre os desafios. “Temos que primeiro manter a linha da Amosc, que é a linha da união dos municípios, e de trabalhar pelo desenvolvimento regional, esses são os principais objetivos, porque sabemos que a força vem através da união. Nós prefeitos agora vamos nos unir muito mais para cobrar do Estado e do Governo Federal as condições para que a gente possa realmente dar o atendimento necessário aos municípios. É nos municípios que acontecem as coisas, então é dessa forma que vamos encarrar esse mandato junto a Amosc. Aplicar o recurso público da forma correta, ou seja, o recurso público se aplica no público, e é isso que vamos cobrar, que o recurso público não seja aplicado em estruturas de gabinetes, que eles realmente deixem de estar nos gabinetes e passem a estar mais com o público, é isso que nós vamos cobrar no ano de 2019”, ressaltou.