Na terça-feira (05), o prefeito Mário Afonso Woitexem, fez a entrega de ordem de serviço para construção de quatro pontes no interior do município. A empresa ganhadora da licitação é a Decc Construtora Ltda, de Concordia. As novas pontes substituirão as pontes que foram danificadas com a enxurrada na virada de ano 2016/2017. O valor investido é de R$ 952 mil, oriundos da Defesa Civil Federal.


“É uma alegria muito grande poder entregar a ordem de serviço para construção destas pontes. No dia 1º de janeiro de 2017, quando assumimos o governo, o município havia registrado uma chuva de aproximadamente 130 milímetros em 50 minutos, o que fez com que tivéssemos um estrago muito grande nas estradas e pontes. Foram danificadas seis pontes, de imediato conseguimos duas pontes através do governo do Estado, que já estão instaladas e batalhamos muito para essas quatro pontes junto ao governo federal”, salienta o prefeito, dedicando a conquista a equipe técnica do município, setor de engenharia, de convênios e a Secretaria de Agricultura, que desenvolveram o trabalho técnico.


O prefeito menciona ainda, que a parte técnica, aliada ao esforço de todos e a importância econômica de Pinhalzinho no Estado e a nível Nacional, no que se refere ao escoamento da produção de leite, frango, suíno, gado de corte, fez com que sensibilizasse o governo federal e conquistasse o recurso para construção das pontes. 


As pontes devem ser instaladas em quatro meses, ou seja, um mês cada ponte, iniciando com a ponte da Linha Volta Grande.


O pinhalense, Atalíbio Magioni, que reside na Linha Pio-X, esperou durante anos a construção de uma nova ponte, próximo a sua propriedade. Ele que revende gado em feiras, não consegue transportar os animais, pelo local, com caminhão de grande porte. “Foram praticamente dois anos sem o direito de ir e vir. Transporto o gado com caminhões pequenos, porque maior não passam pela ponte, agora vou poder colocar o gado em um caminhão maior para transportar e assim faço só uma ou duas viagens de transporte dos animais até a feira e não mais quatro viagens”, ressalta.