No último sábado (17), a equipe de Futsal Masculino Adulto de Pinhalzinho realizou sua primeira partida do ano pela Liga Catarinense de Futsal (LCF). Após ficar o ano de 2017 sem equipe, o município volta este ano com um time reformulado e com a volta da marca “Pinhalense”, que foi o nome da equipe até 2009.


De 2010 até 2016, o nome que representou a equipe foi Adesp Pinhalzinho. Agora, com o nome que representou tantas conquistas no esporte para o município, a intenção é voltar às origens e mostrar o potencial do esporte pinhalense. 


De acordo com o técnico da equipe, Lewis Heineck‎, a nova organização do projeto foca, principalmente em voltar às origens e valorizar os atletas do município. “No ano passado, quando assumimos a equipe e a Fundação Municipal de Esportes (FME), optamos por não participar e organizar o time, estruturar nossas categorias de base e preparar uma equipe para que esse ano pudesse ter um novo projeto, voltando as origens da Pinhalense Futsal. Definimos que esse projeto fosse predominantemente composto por atletas da casa, para que fosse mais pé no chão, humilde em termos financeiros e que valorizasse nossas categorias de bases, composto pelas crianças que passaram anos treinando nas escolinhas do município, aliado a alguns atletas mais experientes que já defenderam as cores da nossa camisa”.
 

Composição da equipe


Lewis destaca que, acima de jogadores, os atletas são parte da sociedade, e por isso, uma exigência para integrar a equipe é que os integrantes trabalhem ou estudem nos períodos em que não estão jogando ou treinando. “Assim a gente acaba com o tempo ocioso que o atleta tinha durante o dia, quando não estão jogando. Isso mostra que este é um projeto com pessoas iguais a quem nos patrocina e a quem vem nos assistir, que trabalham e estudam, sem aquele status de “jogador”. Eles são atletas, fazem parte do projeto, mas não fazem só isso”, explica.


A equipe de atletas da Pinhalense foi totalmente repensada, valorizando novos talentos, junto com atletas mais experientes. “Tínhamos claro que precisaríamos de quatro a cinco atletas mais experientes, que já jogaram na Pinhalense e na Adesp, e hoje contamos com cinco atletas neste nível. Os outros são atletas que trabalharam conosco ano passado na categoria de base sub-18 e subiram neste ano para a categoria Adulto. É uma equipe jovem, ainda inexperiente no contexto competitivo, mas que vai, aos poucos, engrenando, se conhecendo e melhorando como equipe. A ideia é manter essa equipe com os atletas da casa para que eles sejam um espelho para os atletas das categorias de base”.


De acordo com o coordenador da Associação, Sergio Mazonetto, essa composição da equipe com membros que vivem no município reforça a ideia de volta às origens com a equipe Pinhalense. “Estamos a frente deste grande projeto para Pinhalzinho, onde buscamos desenvolver o esporte pinhalense, Para isto iniciamos este projeto com praticamente todos atletas da casa, valorizando, assim, nossos atletas”.


Mazonetto assinala que, por esta fase marcar a volta do time, a Associação responsável ainda encontra algumas dificuldades. “Como em tudo, o início sempre é mais difícil, precisamos de muito do apoio da comunidade. Solicitamos que todos venham até o ginásio e acompanhem os jogos. Outro ponto são nos patrocinadores, pois necessitamos de mais apoio das empresas, pois este projeto demanda de muito recurso. Pedimos que, se algum empresário tiver interesse em divulgar sua empresa a nível estadual e ainda ajudar o esporte, que venham até nó para conversar”, assinala Sergio, pedindo o apoio de todos.
Primeiro desafio


No sábado a equipe Pinhalense foi até Seara para disputar a primeira rodada da LCF. Em uma disputa com uma equipe forte, jogando com bastante torcida, o time de Pinhalzinho acabou ficando com o empate de 2x2, com gols de Pi e Rossatto. Conforme avaliação do técnico, a equipe teve bastante dificuldades, como a diferença da quadra em que a equipe é acostumada a treinar, que pé menor do que a de Seara.


“Eles nos impuseram bastante dificuldades, principalmente marcando de forma muito agressiva. Nós precisamos ter paciência com o nosso projeto, pois temos atletas que estavam parados, alguns que eram de outros lugares e a equipe ainda não está 100% entrosada, temos atletas novos, que em cada jogo terão descobertas novas e isso vai levar um tempo até que eles não sintam tanto o jogo”. Lewis assinala, ainda, que em Seara a Pinhalense enfrentou uma equipe apoiada por um público de aproximadamente mil pessoas. “Tudo isso foi interessante como estreia pois foi um “batismo de fogo”, tanto para quem estava jogando e para quem entrou agora. Vimos que temos bastante coisas para melhorar, mas também temos condições de fazer uma boa temporada, e é para isso que vamos trabalhar”.


Próximo jogo


Neste sábado (24) a Pinhalense enfrenta a equipe de Bom Jesus do Oeste (ADBF) pela segunda rodada da LCF. Segundo Lewis, o adversário é considerado bastante agressivo e batalhador. “A equipe da ADBF estreou este ano na competição, mas vem treino junta há mais tempo e está entrosada. Eles possuem atletas que se identificam com a camisa e acredito que será um jogo bem difícil para nós. Esperamos contar com o apoio do torcedor, será a volta do projeto para nossa cidade, então vamos trabalhar bastante nesta semana para se preparar e fazer um bom jogo no sábado”, convoca o técnico.