A Secretaria de Educação de Pinhalzinho, durante os primeiros dois anos de mandato, 2017 e 2018, obteve importantes conquistas e reformas, de forma a melhorar e auxiliar os munícipes neste setor tão importante na sociedade.

De acordo com o secretário, Fabricio Fontana, desde o início de 2017, a Administração Municipal, através da Secretaria, esteve reestruturando as creches do município. “Nós ficamos um ano inteiro fazendo reformas no telhado, porque tínhamos problemas de chuva, e a partir disso começamos a construir junto a nova logística, uma nova visão sobre a Educação”, explica.

Desta forma, durante os dois anos, foi realizada a ampliação no Centro de Educação Infantil Municipal (CEIM) Pedro Simon, no bairro São José. A reforma compreendeu salas de aula, calçadas e novo parque.

“Ainda estamos concluindo, esperamos que em fevereiro tenhamos essa obra concluída”, considera Fontana. No entanto, a Secretaria ainda possui o planejamento da segunda etapa desta ampliação, que se refere ao refeitório, biblioteca e videoteca.

O CEIM Gente Feliz, no parque da Efacip, também está próxima da conclusão, de modo que a Secretaria conta com a obra pronta no fim de fevereiro, abrigando em torno de 150 crianças.

Outra obra que levou em torno de seis anos para conclusão, é a Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Maria Terezinha. “Quando assumimos essa obra, existia um problema no sistema, na contrapartida. Era necessário fazer a parte de muros, que era contrapartida do município, e isso estava parado. Assim que fizemos isso, investimos neste sentido e cumprimos com a nossa parte no acordo com o FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação), a obra começou a andar e estamos com ela 99% concluída”, cita o secretário.

Ainda de acordo com Fontana, no início de 2017, o prefeiArquivo/IMP to, Mário Afonso Woitexen, se dedicou para conseguir uma creche para o bairro Santo Antônio, que foi licitada nesta quinta-feira (10). “Esperamos que esta obra tenha início já nos primeiros dias de março, para que possamos até o fim do próximo ano, entregar essa nova creche para a comunidade”, avalia.

Sistema de Ensino Integrado

O modelo de ensino integrado do Sistema Educacional Família e Escola (Sefe), que já é aplicado em vários municípios do Estado, foi implantado em Pinhalzinho nas Escolas Municipais de Educação Básica e de Ensino Fundamental (Emeb e Emef), no ano de 2018.

Inicialmente, o sistema foi aplicado nos anos iniciais do Ensino Fundamental, 1º ao 5º ano e a partir deste ano, em 2019, foi ampliado até o 6º ano. “Nós trouxemos esse modelo diferente, um sistema de ensino diferente, no qual o sistema se integra com a capacitação dos professores, e o diferencial é o material que está dentro da proposta pedagógica. A avaliação é sempre positiva, os professores ainda estão se adaptando ao sistema. É um modelo que deu certo em outros municípios, e certamente dará certo em Pinhalzinho também”, avalia o secretário.

Inovação em tecnologia

“No momento em que vivemos, em meio a tantas inovações, é imprescindível que se invista em tecnologia na Educação. As nossas crianças já nascem ligando o celular, e a Educação não pode ficar para atrás”, cita Fontana. O secretário se refere ao investimento feito pela administração, através da Secretaria de Educação, sobre o kit multimídia, composto por uma Smart TV e um notebook. Todas as salas de aula das escolas municipais de Pinhalzinho receberam o investimento, que torna as aulas mais dinâmicas e proporciona uma educação de maior qualidade.

Os equipamentos também funcionam como ferramenta para o professor, de modo que servem para gerenciar o sistema de educação no que diz respeito aos dados dos alunos, como frequência escolar, notas e trabalhos entregues. “É uma ferramenta que vem para somar na Educação e instrumentalizar o nosso professor. E, embora tenhamos investido em tecnologia e sistema de ensino, o professor ainda possui sua autonomia preservada, ainda é o comandante da sala de aula. O que nós fizemos foi instrumentalizar as salas e os professores para aumentar as possibilidades de trabalho, e os nossos alunos estão evoluindo muito rápido em termos de tecnologia”, avalia o secretário.