O ano letivo de 2019 está previsto para iniciar dia 11 de fevereiro nas escolas municipais de Pinhalzinho. Inúmeras obras na Educação estão em andamento, agora na fase conclusiva para que todas as obras estejam prontas ou em condições de atender os alunos e professores até o início das aulas.


De acordo com o secretário de Educação, Fabrício Fontana, com as mudanças na estrutura da Educação, também abriram novas vagas. “O Centro de Educação Infantil Municipal (CEIM) Gente Feliz I e II agora não existe mais, esses CEIM estarão na mesma estrutura, ficando denominado CEIM Gente Feliz. É uma escola que ficou ampla, com salas e banheiros adequados, com cozinha e refeitório, sala de professores, uma escola bonita e funcional. Por estar localizada no parque da Efacip, terá inúmeras possibilidades, como a Trilha do Saber, e o espaço interno e externo da Efacip. Uma escola que será referência. Diante do fechamento dos dois CEIM, que estavam em espaços impróprios, com essa troca conseguimos disponibilizar mais 50 vagas. Essas vagas já estão preenchidas, se não tivéssemos feito essas mudanças teriam 50 crianças sem vagas no município”, aponta o secretário.


O CEIM Pedro Simon também passou por melhorias e adequações. Foram ampliadas quatro salas de aula, criado um laboratório de informática, biblioteca, construída uma pista ao redor da escola que servirá para educação no trânsito, os parquinhos foram reformados e também foi renovado o contrato do ginásio do Internacional, onde a escola poderá utilizar o mesmo todos os dias. Outro fator interessante é a criação de estacionamento para ônibus, local de embarque e desembarque, localizado atrás da escola, deixando a parte da frente exclusivamente para os alunos que os pais vêm retirar na escola.    


Transporte escolar 


O secretário de Educação explica que no transporte escolar não há mudanças práticas. Os trajetos continuam os mesmos, a diferença é que agora os mesmo serão procedentes do transporte coletivo. “Todos que tem direto ao transporte escolar, segundo a resolução do transporte escolar municipal, deverão procurar as unidades escolares municipais para fazer o seu cadastro. Em 2018 realizamos em torno de 500 cadastros e aqueles que não fizeram ainda, podem fazer. Feito o cadastro, a Secretaria vai analisar para ver se estão dentro da legislação e vai conceder o passe se tiver o direto”, ressalta Fontana.


Ele afirma que a lei constitui, que tem direto ao transporte, quem reside a uma distância de 2km ida e volta até a escola e estudar na escola mais próxima da sua residência. “Aquele que moram a essa distância e que estão matriculados na escola mais próxima podem solicitar o transporte”.


Fontana acrescenta que será feita uma experiência de seis meses deste modelo de transporte, posteriormente avaliarão se continuam ou não este formato.