Foi realizada nesta semana, uma reunião com o primeiro grupo a realizar exames de média e alta complexidade. Participaram 19 pacientes de oncologia e seis necessitando de cintilografia. Os exames são incumbência do governo estadual e federal, mas para fazer a fila de espera andar, a Administração Municipal chamou os pacientes por ordem de prioridade. Mais de duas mil pessoas estão na fila do Sistema Único de Saúde (SUS) aguardando serem chamados.


De acordo com o prefeito, Mário Afonso Woitexem, que acompanhou a reunião, a Administração Municipal faz escolhas e nesta gestão optou pela saúde das pessoas. “Durante o ano de 2017, fomos à busca de recursos junto aos parlamentares, pedimos estes recursos visando a área da saúde. Mesmo nós sabendo que os casos de saúde, de média e alta complexidade, é compromisso e obrigação do governo, nós não podemos ver as pessoas de Pinhalzinho, em um fila de espera, sofrendo, com dor, e ficarmos de braços cruzados. Optamos, em trocar grandes obras pela saúde do povo pinhalense”, afirma.


O prefeito menciona ainda que este é o primeiro passo de muitas ações na área da saúde que serão realizadas neste ano. “Temos que agradecer os deputados João Rodrigues (PSD), Esperidião Amin (Progressista) e Marco Tebaldi (PSDB), que foram pessoas que repassaram recursos para que pudéssemos começar este mutirão de exames e consultas”, diz.


Para o secretário de Saúde, Elmo Zanchet, essa é uma decisão importante, pois com isso vai andar também a fila das cirurgias. “Para encaminharmos pacientes para cirurgia, é preciso primeiro fazer os exames, como são exames de valores altos e a fila do SUS não anda, decidimos, juntamente com a equipe da Saúde e Administração Municipal, a fazer com recursos próprios, os exames mais urgentes. Com o passar dos dias, vamos chamar outro grupo de pessoas e fazer realmente a fila andar”, destaca.