O governo municipal de Pinhalzinho, através do prefeito Mário Afonso Woitexem, e das Secretarias de Obras e de Agricultura, realizaram uma reunião na noite de quarta-feira (14), com as comunidades de Linha Salete e Linha São Paulo, para tratar sobre a pavimentação asfáltica, no trecho entre as duas comunidades. A reunião ocorreu no salão comunitário da Linha Salete. 


Conforme o prefeito, a reunião teve como objetivo apresentar o projeto de asfaltamento. “São 28.560m² de asfalto, ou seja, 4.7km, ligando os municípios de Pinhalzinho e União do Oeste. Conversamos com todas as famílias, pois todas terão que fazer autorização, principalmente às famílias que tem suas propriedades junto à faixa de asfalto”, ressalta. 


O prefeito anunciou também que a obra será concretizada com recursos próprios do município, no valor aproximado de R$ 1.6 milhões, com alargamento, drenagem, 3cm de reperfilagem e mais 3,5cm com camada de acabamento com vibroacabadora. “Nesta obra não teremos recurso de emendas estadual ou federal. São recursos próprios, recursos economizados, a partir de uma gestão feita em 2017. Isso me deixa feliz, em poder anunciar, pois sabemos que além do desenvolvimento que vamos trazer para o município, nosso comércio, nossa prestação de serviço, também estaremos proporcionando melhor qualidade de vida a todos os moradores das comunidades da Linha Salete e Linha São Paulo, bem como, dando melhores condições de logística e escoamento da produção naquele trecho”, aponta Woitexem.


O engenheiro civil do município, Juliano Kolanckievicz, que durante a reunião repassou os dados técnicos, diz que é preciso uma área específica do lado do asfalto para proteger a pavimentação e isso tentou deixar claro para as famílias. “Como nos dias de hoje precisamos otimizar o recurso público, precisamos investir ele e tentar ter menos manutenção. Para isso, é preciso ter uma área ao lado da pavimentação para trabalhar com a drenagem, pois distanciando a água das chuvas da pavimentação, vamos distanciar o problema. Não é somente a qualidade do asfalto que interfere para ter uma pavimentação boa e sim uma drenagem bem feita. Feito isso, é possível manter a pavimentação com menos problema no futuro e consequentemente com uma economia de recursos públicos”, ressalta o engenheiro.