Grande público prestigiou a 15ª festa do Vinho, Queijo e Salame, realizada nos dias 07 e 08 de julho, no pavilhão da Efacip, em Pinhalzinho.

 

O evento teve como objetivo agregação de valor aos produtores e também a ampla divulgação de seus produtos. A 15ª festa do vinho, queijo e salame, realizada pelo governo municipal de Pinhalzinho, contou com o apoio da Cooperativa Regional Itaipu e teve a participação dos municípios de: Campo Erê, Saltinho, Sul Brasil, Modelo, Coronel Freitas, Nova Erechim, Saudades, Cunhataí, São Carlos, Palmitos e Nova Itaberaba.

 

A festa foi criada em 2001, no governo de João Rodrigues. Na época, foram coordenadores, Paulo Junqueira da Silva e Honorino Dalapossa, atual secretário da agricultura e coordenador da 15ª edição.

 

Participaram da abertura da festa, prefeito Mário Afonso Woitexem e sua esposa Claudia Woitexem; vice-prefeito Darci Fiorini e sua esposa Marilene Fiorini; Secretário de agricultura e presidente da Comissão Central Organizadora, Honorino Dalapossa; secretário adjunto da Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca,          Airton Spies; secretário da Agência de Desenvolvimento Regional (ADR) de Maravilha, Jonas Dall'agnol; juiz de direito da comarca de Pinhalzinho, Márcio Preis; promotor de justiça da comarca, Edison de Melo Menezes; presidente da Cooperativa Regional Itaipu, Arno Pandolfo; representante dos expositores, Vilson Savegnago; deputados federais, Marco Tebaldi (PSDB-SC), João Rodrigues (PSD-SC); Deputados estaduais, Altair Silva (PP), Mauro de Nadal (PMDB), Marcos Vieira (PSDB); vereadores, prefeitos da região, secretários municipais e comunidade geral.

 

Assinatura de convênios

Na oportunidade, foram assinados convênios de emendas parlamentares dos deputados federais João Rodrigues (PSD-SC) e Marco Tebaldi (PSDB-SC), destinados para custeio à saúde. A emenda do João Rodrigues no valor de R$ 250 mil e do deputado Marco Tebaldi, R$ 150 mil.

 

O deputado Marcos Vieira (PSDB) anunciou que uma demanda do município de Pinhalzinho está perto de se tornar realidade: com apoio do Tribunal de Justiça, oficializou o repasse do prédio do antigo Fórum municipal para o patrimônio da prefeitura, que instalará no local diversos órgãos e com isso fará economia substancial de gastos com aluguel de outros imóveis.

 

Avaliação do evento

A 15ª edição contou com 34 estandes, distribuídos em produtores de vinho, queijo, salame, panificados, doces e artesanatos. Durante os dois dias de festa, 3.500 pessoas prestigiaram o evento. A maior comercialização dos produtos, segundo os expositores, foi na tarde de sábado, onde cerca de 500 pessoas passaram pelos estandes. Na sexta-feira (07) foram comercializados em torno de 400 cafés coloniais e no sábado (08) aproximadamente 1.400 jantas.

 

O prefeito de Pinhalzinho agradece a todos que se empenharam para a realização da festa, a equipe da Secretaria de Agricultura, da Secretaria de Obras, o vice-prefeito Darci Fiorini que se empenhou muito para a realização da festa. “Conseguimos sucesso neste evento justamente pela estrutura que foi organizada, pelas condições que foi dada aos expositores. Nós valorizamos o setor produtivo e quando se dá valor a quem produz, os agricultores familiares, o resultado é este sucesso. Agradeço a todas as pessoas que participaram da organização, as pessoas que fizeram as jantas, as entidades que se envolveram e todos que participaram”, destaca Woitexem.

 

Para Honorino Dalapossa, coordenador da 15ª edição, foi uma satisfação voltar a coordenar a festa após 16 anos desde sua primeira edição e ter obtido sucesso. “Graças aos integrantes da Comissão Central Organizadora, a parceria da Cooperitaipu, ao Lions que preparou o café colonial, ao Nobre Sabor que preparou o jantar de sábado, aos expositores, aos funcionários da prefeitura em especial ao departamento de obras que trabalharam na reforma do parque e na organização e preparação de todo o espaço físico para o acontecimento da 15ª edição e que levou a coroação como melhor e maior festa com um brilho impar com animação, emoção, entusiasmo e com a qualidade dos produtos que se apresentaram”, diz.

 

Dalapossa acrescenta ainda que estes são os frutos colhidos, plantados no ano 2001, com a primeira festa e empreendimentos do negócio agrícola se consolidando cada vez mais, fazendo com que o Oeste comece a se tornar além de produtor de matéria-prima que também tenha espaço no industrializados, colocando isso no mercado.